Você sabe o que é Sarcopenia?

Por Fernanda Marcun

Sabemos que o envelhecimento é caracterizado pela soma de alterações biológicas, psicológicas e sociais que levam a uma redução gradual das capacidades de adaptação e de desempenho psicofísico dos indivíduos.

Dentre as alterações biológicas podemos citar as mudanças nas dimensões corporais (aumento da gordura corporal), redução da massa muscular e óssea, regulação hormonal prejudicada, redução do potencial cardiovascular, entre outros. Destas alterações, as que mais nos chama a atenção é a diminuição da massa muscular e consequentemente redução no desenvolvimento da força, denominado Sarcopenia. O grau de desenvolvimento da Sarcopenia pode ser prejudicial a ponto de impedir que uma pessoa com idade mais avançada tenha uma vida independente.

Suas consequências envolvem :

– redução do equilíbrio
– dificuldades com a marcha
– quedas e fraturas

O principal mecanismo envolvido é a redução gradativa no tamanho e número das fibras musculares, além de um processo degenerativo causado pela perda de contato do neurônio motor com as fibras musculares que, não sendo inervadas, são substituídas por tecido gorduroso e fibroso.

mecanismos-moleculares-da-sarcopenia-01

A degradação dos sistemas nervoso e muscular não é a única causa da Sarcopenia, outros mecanismos também estão envolvidos:

– Inatividade física
– carência de alimentos proteicos e calóricos
– produção e secreção hormonal prejudicadas

A diminuição da massa muscular e força tem início aproximadamente aos 30 anos de idade e acelera após os 50. Esse trajeto pode ser dividido em duas fases. Uma fase lenta, em que 10% da massa muscular é perdida, que ocorre entre os 30 e 50 anos de idade. Em seguida, uma fase rápida dos 50 aos 80 anos, na qual essa redução pode chegar a 40%.

sarcopenia-gradual-muscle-loss

É evidente que existe uma procura cada vez maior por soluções que minimizem, ou se possível evitem os efeitos negativos do avanço da idade no organismo. A pratica de exercícios físicos, tanto aeróbicos quanto de resistência, somados aos de equilíbrio e flexibilidade são fundamentais nesta fase. No entanto, os exercícios de força (resistidos) promovem aumento na síntese proteica muscular e mudanças na inervação e padrão de ativação muscular, tornando-se o método mais eficaz no tratamento da sarcopenia.

Preconiza-se que o treinamento de força deve ser planejado e individualizado e com aumento de carga progressiva, deve ter um tempo de recuperação mínimo de 24 horas entre as sessões e ter uma prática regular com frequência mínima de 2 vezes por semana.

Existem estudos que comprovaram aumentos significativos de força em idosos praticantes de exercícios de força, semelhantes aos ganhos em jovens que executaram o mesmo tipo de programa de exercício. Foi ressaltada ainda, a importância de um período superior ao de 12 semanas e intensidade alta para que possa revelar os efeitos positivos.

idoso

É importante ressaltar que alguns idosos podem ter a ingestão alimentar reduzida e necessidades proteicas aumentadas, tornando difícil a obtenção dos benefícios do treinamento. Daí a importância do acompanhamento de uma equipe multidisciplinar incluindo nutricionistas, educadores físicos e fisioterapeutas para a garantia de resultados eficientes.

Espero que gostem!

Beijos

Fe Marcun

Fonte: Dimensões físicas do envelhecimento , SPIRDUSO, W.





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*