Como identificar um câncer de pele?

image

Você sabia que o câncer de pele é o tipo mais comum de câncer no mundo?

Exatamente por isso para estrear minha participação no blog Vem Com Elas, estou trazendo informações importantes sobre como identificar um possível câncer de pele. Vamos a elas!!

Popularmente conhecidos como pintas, os nevos são lesões planas ou elevadas, cuja coloração pode variar da cor da pele ao negro. Podem ser congênitos (presentes desde o nascimento) ou adquiridos, e algumas vezes se apresentam com pelos.

A maioria deles é benigno mas pode ter transformação maligna!

Então quando devemos nos preocupar com uma pinta?

A orientação é que você mesma realize um auto exame de sua pele a cada 3 meses com a ajuda de um espelho e identifique qualquer alteração. Para facilitar, existe a ‘Regra do ABCD’ como a seguir:

A – assimetria: diferença de tamanho e contorno entre as duas metades do nevo

B – bordas: irregularidade de contorno das bordas do nevo

C – cor: surgimento de várias cores na mesma pinta, como preto, azul, cinza, esverdeado, vários tons de marrom

D – dimensão: suspeitar quando lesão com mais de 5 mm de diâmetro

image.png

Outros sinais incluem descamação da lesão e sangramento, coceira.

Qualquer dessas alterações indica que você deve procurar avaliação médica, assim como o surgimento de uma nova lesão. O exame físico deve ser realizado anualmente pelo seu dermatologista.

Com 120 mil novos casos por ano no Brasil, o câncer de pele ocorre quando há crescimento descontrolado e anormal das células que compõe a pele. Os tipos mais comuns são basocelular, espinocelular e melanoma, sendo este ultimo de maior mortalidade e responsável por 5% dos casos de câncer de pele.

Durante avaliação médica, realiza-se a dermatoscopia, que consiste na avaliação com lupa, sendo indicada retirada da pinta ou acompanhamento clínico.

A exérese cirúrgica é indicada quando há suspeita. É realizada uma pequena cirurgia e biopsia com anestesia local e pode-se retirar parte da lesão ou totalmente dependendo do  tamanho e localização.

Pensando em prevenção vale seguir as recomendações a seguir:

1- evitar exposição solar excessiva, principalmente pessoas de pele clara e com muitas pintas

2- uso de filtro solar com FPS >15: deve-se aplicar 30 min antes de se expor ao sol e reaplicar a cada 2h

3- evitar o sol das 10-16h

4- usar protetor labial, óculos e chapéu quando se expuser ao sol

5- Autoexame a cada 3 meses e consulta anual com dermatologista

6- cuidado redobrado nos primeiros 20 anos de vida: cada queimadura solar nessa faixa etária dobra o risco de câncer de pele

Cuida da sua pele! Além da preocupação com o câncer de pele, a exposição também leva ao envelhecimento.

Até a próxima matéria!

Thais Padrão

Cirurgiã Plástica (membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica)

www.drathaispadrao.com.br

 

 





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*